domingo, abril 30, 2006

tá pintando candidato ao troféu MM

O ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PMDB), pré-candidato à presidência da República, iniciou na tarde deste domingo uma greve de fome em protesto contra o que chamou de "campanha mentirosa e sórdida" para desconstruir sua imagem.

cwb - e/ou - 2006 - ddn

http://chacalog.zip.net/index.html

sócio do ócio

doce ociosidade
sacia minha sede de ser assim
largado no mundo caído na vida
terra mãe luz da manhã

doce sociedade ociosa sempre no cio
já aboliram a escravatura
pendure sua rede mate sua sede
de se espreguiçar

de volta ao princípio
onde o que come é comido
cru ou cozido
vou te devorar

viva nossa carne mortal
de partículas imortais
para pulsar
filhos do sol

até que se cumpra
nosso destino cósmico
sou sócio do ócio
eu sou

chacal (letra elétrika / 94 - musicado por mimi lessa)

lá do blog do chacal....



poema de PAULO LINS, autor de "Cidade de Deus"

peixada em curitiba

olá, rubens
nós, e/ous, vamos de peixada amanhã. aproveitando o momento para uma confraternização
inté,
go to

primeiro deSmaio

Amigos, esse é um convite para participar de uma ação por menos trabalho e menos consumo. Leiam e se interessar vejam qual função gostariam de desempenhar. Pode-se desmaiar, "socorrer" um desmaiado, registrar em vídeo ou foto, convencer pessoas a desmaiarem e/ou divulgar para pessoas de sua confiança. A ação pode ser solitária, mas é possível organizar um grupo de pessoas e realizá-la onde for mais conveniente. Apenas sigam com atenção as instruções.

Para maiores informações sobre o Primeiro DesMaio coletivo em São Paulo, envie e-mails para pppmqqq@hotmail.com

um beijo a todos

melina


Primeiro DesMaio

Convocatória . 1º desmaio de 2006 . Brasil
Trabalhe e consuma menos, seja consciente dos seus atos e saiba que às vezes é melhor não agir. Desmaie
Instruções para um bom Primeiro DesMaio:
O DESMAIO : estude o terreno, procure um local sem obstáculos, afinal tudo isso é uma farsa, você não pode se machucar. Amoleça as pernas, dobre os joelhos e caia de lado. A cabeça é a última a chegar ao chão. Daí em diante não se mova.
OS SINTOMAS (como atuar) : palidez, suor frio; depois há escurecimento da vista, falta de controle dos músculos e a pessoa cai, perdendo os sentidos (treine antes se achar necessário).
REANIMAR : você provavelmente será socorrido, haverá ansiedade e talvez pânico a sua volta. Não ria em hipótese alguma. Aos poucos você vai voltando ao normal, sem saber muito bem o que aconteceu. Deixe as pessoas cuidarem de você, assim ganha-se mais tempo.

AS CAUSAS (servirão de justificativas): o desmaio pode ser provocado por fome, nervosismo intenso, emoção súbita violenta, ambiente fechado e quente, e mudança brusca de posição (por exemplo, abaixar e levantar muito rápido).
Desmaiar é habitualmente assustador, mas quase nunca é grave. Tecnicamente entende-se o desmaio como perda de consciência. O Primeiro DesMaio, ao contrário, é um ato político consciente que tem como objetivo, interromper atividades de trabalho durante um determinado tempo.
Esse comportamento ilusório ocasiona uma quebra no cotidiano, distraindo as pessoas, subvertendo a lógica de mercado, onde tempo é dinheiro, portanto, Primeiro DesMaio pode ser prejuízo. É um protesto pacífico contra centros comerciais, shoppings e supermercados que poderiam não abrir nesta data, mas o fazem. Espaços onde qualquer manifestação seria rapidamente evitada ou repudiada com violência.
Em tempos de alto consumo, descansar, se divertir, ou se manifestar é um privilégio para poucos. Esse ato pode ser realizado por pessoas que trabalham em tais estabelecimentos ou por freqüentadores. Pode ainda ser um ato individual ou coletivo. Primeiro DesMaio é muito mais que aproveitar o feriado, é uma ação concreta principalmente contra o consumo exacerbado.
Esse ato pode ser realizado por pessoas que trabalham em tais estabelecimentos ou por freqüentadores. Pode ainda ser um ato individual ou coletivo.
Este é um ato público, que pertence a todos. Cada um é responsável por sua ação, por isso, seja consciente no seu Primeiro DesMaio e atue com veracidade. Um bom Primeiro DesMaio à todos!
repasse DIVULGUE publique NÃO CONSUMA NESTE DIA
repasse DIVULGUE publique NÃO CONSUMA NESTE DIA

pppmqqq@hotmail.com

sexta-feira, abril 28, 2006

depósitos bancários

*DIA DO NADA 2006*
Oi Rubão.
Mandei um e-mail prá vc ontem mas retornou, na 2ª feira eu e a vanda estaremos indo na agência do banco itáu em Cornélio Procópio, e vamos fazer vários depósitos nos caixas eletrônicos, é claro que não colocaremosnada dentro dos envelopes, e escreveremos neles o endereço eletrônico do dia do nada , vamos registrar com fotos e com os comprovantes , boa sorte e tudo de bom ( digo ) ( NADA ) de bom.

um abraço Tião e Vanda.

nu e hai-kai

FOLHAS CAMINHANDO
FORMIGAS TRABALHANDO
NA SOMBRA

filipetas

As filipetas para distribuir na manifestação dos trabalhadores também ficaram prontas.
Frases construtivas como:

"A cagada remunerada é a única forma de imaginar que o nosso trabalho vale alguma coisa", do Glauco Mattoso, fazem parte dessa verdadeira antologia nadista.

Mas regado à suco demaracujá, é claro. Para acalmar os ânimos nesse feriado.
vai ter nu artístico, claro! of course. Nossos nus são os mais acadêmicos.

vAI TER DESCASCAR ABACAXI. aLGUÉM PRECISA FAZER ESSE SERVIÇO!!!!

e vai ter o paulinho do teatro (nas alturas) gritando no vale, no meio das montanhas: DIA DO NADA . repetido mil vezes pelo eco.

e vai ter o paralelo sistema de som segurando o astral com a aparelhagem de som na frente do banco do brasil. Junto com a rádio MAROLA. Dos caras da UEL. Que sabem sentir o cheiro e o gosto do que quer dizer REVOLUÇÃO.

Peças radiofônicas, discos a ver, trapizongas, radiolas e caixas de som para conectar ao amplificador, etc. serão bem-vindos!

yes!

E Tadheo Amélio, chapando os bueiros com ratinhos, quero dizer, radinhos!

E VAI TER O FAQUIR, NA QUINTA QUE VEM, no 107 blues, NA RÁDIO UNIVERSIDADE, MOSTRANDO, FAZENDO, FALANDO, DANDO UMA CHANCE DO dia do nada MOSTRAR A SUA

E já rola camiseta com o desenho abaixo. Agora a coisa está incorporada.


E troféu MOSCA MORTA! Para quem menos se destaca em sua área de atuação.

E a Eríka, a Gabi, o Korneta, o Cris, a Izzzzzzzzza, o Marcelinho (q vai ser desta vez?) e os companheiros de sempre, como o João e o Jean.

E a revista desCARAdaS. E o livro do Chico, professor de arte da UEL.

Por enquanto...

Ah! E levem material para registrar o evento: gravadores, coisas para fazer fotos - celulares e câmeras - e videos.



Quem for leve frutas, ok?

Em Londrina, um dos lugares é na frente do Banco do Brasil, no calçadão.

terça-feira, abril 25, 2006

frases

A arte foi “pensada até o fim”, e dissolveu-se no nada. O nada é tudo que resta...

Hans Richter

frases

Não é do trabalho que nasce a civilização: ela nasce do tempo livre e do jogo.
Alexandre Koyré

desCARAdaS

Na dica de CARAS
Ou, solução para o “dia do nada” anterior... como diria um efêmero ex-presidiário nos tempos atuais.

Trabalho (algo que já foi denominado “poeisis”) é um verbo que não se conjuga no portentoso território da ilha de caras. Pódi crê, um lugar bom de se aparecer e, diga-se de imaginativa passagem, infinitamente perfeito de nada pra fazê! E, (des)cara-da-mente então desencarei a des-can-cara-da revista VIP (Very Imbecile People) (des)informativa mais querida e com-ferida da semana tupiniquim.
Sim!! O sorridente compêndio que toda dona de estético salão assina, ou compra, a fim de(sempre) trazer felicidade à sua fidelíssima clientela.Entretanto, como fica o digníssimo “trampinho” dos papparazzis (photo-lier-thieves) numa estorinha furada dessas?!? O “click” deles estaria sendo (des)valorizado?!Ou (des)caracterizado? Por via das dúvidas, (des)pasteurizado...
Que nada o quê?! Nade sempre a favor das correntezas, à ilha. Mundanos. E eu disse “trampinho”, não tr..., o verbo tr... não há de ser conjugado, afinal de contas, é a primeira segunda de maio, o dia do...

N A D A!! Dia do nada, dimensões, uns não-lugares a fins, fadados como a contos de fadas. E rola, na praça também, todo ano. Em Londrina/PR, em BeloHorizonte/MG, na Califórnia/USA, em Macapá/AP, Rio de Janeiro e puraí vai. Faz-se um happening, pior, uma ode pública ao ócio. Por que não dizer, faz-se também apontamentos a uma miríade alternativa, a vivências quaisquer de potenciais cotidianos a serem.... Aliás, o nada ser? Num sei ao direito, mas sei que a praia de nadismo (outono 2005) deu até problemas, o coçar público de saco afetou o chato da milícia estado-all... e daí não adiantou nada, nem oferecer sopinha na rede ou convidar para a pescaria a vácuo. Câmera fotográfica e fitinha cassete foram-se embora...nu. Mas já era, né??!

N O T H I N G . . . N O T H I N G . . . N O T H I N\nG . . . N O T H I N G . . . N O T H I N G . . . N O T H I N G . . . N O T H I N G . . N O T H I N G . . . N O T H I N G . . . N O T H I N G . . . N O T H I N G . . .N O T H I N G . . . N O T H I N G . . . N O T H I N G . . .

Vai de momentum.O que importa? Que muitas caras a vejam? Ou que, pudera... o que há?! Os sorrisos hão de ser compartilhados e tal.
Fico nessa. Deixemos, caracas, a cara revista revisitada. E que possa, ou não, ser revistada. Enfim, reviste. E nos visite

idéias ao redor

Tadheo Amélio com os radinhos em bueiros da cidade.

Gisele descascando abacaxis na praça.

Paiagens sonoras para ruinas urbanas e terrenos baldios (para quem quiser fazer uma peça de áudio)

Déte com a revista desCARAdaS.

terça-feira, abril 18, 2006

propostas para 2006 - parte 01
















Para este ano de 2006, proponho irmos atrás de alguma manifestação de trabalhadores distribuir folhetos com frases sobre o NADA. E gravar isso em vídeo. Acho que pode ser um doc. interessantíssimo abordar a questão do trabalho além da relação de emprego, oferta e procura e mais-valia.

Outra é levar pessoas que gostam de fazer massagens à algum local público, e oferecer serviços para relaxar os transeuntes.

Também tem o troféu "Mosca Morta". Esse eu estou querendo fazer.
Uma mosca morta dentro de uma estrutura de resina acrílica. E uma embalagem de papelão, com uma bula, tipo "para aquele que que menos fez em sua área de atuação", para algum "vagabundo profissional", mesmo, ... por aí.
Talvez com algumas frases do NADA, também. Mas preciso ir atrás dessas moscas, da fôrma e dessa resina, ainda.

É isso, com a facilidade de documentação e registro hoje, quando todo mundo tem celular que grava e tira foto e maquininha digital, fica mais fácil de pegar um monte de imagens e depois editar. Juntar material documental vai ser o lance, agora.